A importância do Sistema de Gestão da Qualidade para as Organizações

O SGQ ajuda as Organizações á terem um sucesso sustentável?

                  


Um Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) compreende atividades pelas quais a organização identifica seus objetivos e determina os processos e recursos necessários para alcançar os resultados desejados. O Sistema de Gestão da Qualidade gerencia a interação de processos e recursos necessários para agregar valor e realizar resultados para as partes interessadas pertinentes. Compreender como os resultados são produzidos por este sistema permite que uma organização otimize o sistema e seu desempenho.

O Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) permite à Alta Direção otimizar a utilização dos recursos considerando as consequências de sua decisão a longo e curto prazo. Além disso o SGQ provê os meios para identificar ações para tratar consequências pretendidas e não pretendidas na provisão de produtos e serviços.

As organizações procuram compreender o contexto interno e externo para identificar as necessidades e expectativas das partes interessadas pertinentes. Esta informação é utilizada no planejamento e desenvolvimento do SGQ para alcançar a melhoria do desempenho organizacional. As saídas de um processo podem ser as entradas em outros processos e são interligadas em uma rede geral. Apesar de muitas vezes parecerem ser compostas de processos semelhantes, cada organização e seu SGQ são únicos.


Em muitos segmentos industriais, como é o caso da indústria automotiva e de linha branca, um dos critérios para a seleção de fornecedores é a evidencia de capacitação em gestão da qualidade, meio ambiente, entre outros requisitos, na maioria das vezes demonstrada por meio de certificação. No caso das pequenas e médias empresas, mesmo que não visem a uma certificação formal, o processo de implementação dos requisitos de um sistema de gestão pode auxilia-las nas melhoria de seus processos e melhor atendimento das necessidades de seus clientes.

Mas porque os sistemas de gestão, em particular gestão da qualidade, tornaram-se tão importantes? Os conceitos e as práticas de gestão da qualidade evoluíram nas últimas décadas de tal modo que a gestão da qualidade pode ser entendida como uma estratégia competitiva cujo objetivo principal se divide em duas partes: Conquistar mercados, e Reduzir desperdícios. Para conquistar mercados, é preciso atender aos requisitos dos clientes. O raciocínio é simples: clientes satisfeitos representam maior faturamento, boa reputação, novos pedidos, resultados para a empresa, mais empregos e melhor remuneração para os funcionários. Ao contrário, cliente insatisfeito pode resultar em má reputação, dificuldade de conseguir novos pedidos, perda de faturamento e dificuldade de se manter no negócio.

Sendo assim o Sistema de Gestão da Qualidade, é uma estratégia de diferenciação baseada no atendimento das expectativas dos clientes. Os requisitos dos clientes são variados e amplos, dependendo do setor e do mercado de atuação da empresa, mas, de modo geral, correspondem a uma combinação de: qualidade do produto ou serviço, prazo de entrega, boa reputação, bom atendimento, adequação ambiental e outros fatores.

Neste sentido, aqui entra a segunda parte do objetivo da gestão da qualidade melhorar a eficiência do negócio, reduzindo os custos da não qualidade e outros desperdícios. O raciocínio também é simples: menos desperdícios, menores custos, resultados positivos para a empresa, mais competitividade, maiores chances de manter e conquistar mercados. Ou seja, a gestão da qualidade também é importante para dar suporte a uma estratégia de redução de custos.

A gestão da qualidade pode, assim, ser utilizada pelas organizações como uma alavanca a sua estratégia competitiva de conquistar mercados e reduzir desperdícios.

É preciso compreender quais abordagens da qualidade serão prioritárias em cada momento: quando devo priorizar as necessidades e desejos dos usuários e os atributos nos meus produtos? Ou quando devo focar na conformidade ás especificações? Ou na redução de custos? É importante achar o equilíbrio certo para que nenhuma das partes interessadas sejam negligenciadas e que a prioridade identificada não seja postergada.

O propósito de um sistema de gestão da qualidade é justamente criar atividades de gestão dos processos relacionados que contribuam para evitar a ocorrência de casos de não conformidades de requisitos dos clientes, contribuindo assim para o bom atendimento e também para a redução de desperdícios.

 A alta gerencia da empresa deve liderar e criar uma cultura de valorização da gestão da qualidade, garantindo sua implementação, sua manutenção e sua melhoria. E para que haja de fato comprometimento de todos os envolvidos, a alta gerência precisa criar condições e dar o suporte necessário para a gestão da qualidade, disponibilizando recursos físicos e humanos necessários, conscientizando e capacitando seu pessoal, estabelecendo meios de comunicação eficazes e documentando atividades e resultados.

As atividades de gestão estabelecidas no sistema da qualidade ISO 9001 focam exatamente nestes pontos: responsabilidade da direção para liderar o processo de gestão da qualidade, planejamento de objetivos e planos de ação, suporte para as atividades de gestão da qualidade; gestão da qualidade na operação dos processos, avaliação de desempenho e melhorias dos processos de gestão. Colocar em prática e gerenciar minimamente bem essas atividades são exigências para que uma empresa obtenha um certificado ISO 9001. Por serem requeridas para a certificação, essas atividades de gestão são chamadas de “requisitos” do sistema de gestão. Os requisitos da ISO 9001:2015 estabelecem “o que” as empresas precisam colocar em prática, mas não entram em detalhes sobre “como” colocar em prática. Essa característica faz com que o sistema de gestão da qualidade da ISO seja aplicável a qualquer organização, de manufatura ou serviço, em qualquer aspecto da atividade econômica.

Com essas mudanças, os requisitos do sistema da qualidade passaram a incorporar de maneira mais objetiva e concreta alguns princípios básicos de gestão da qualidade, tais como: foco no cliente, liderança, melhoria continua, capacitação de pessoas, gestão por processos e decisão baseada em fatos.

Portanto, algumas empresas entendem que os esforços e o custo de certificação não se justificam; outras aproveitam para utilizar o certificado como um diferencial e uma forma de marketing para aumentar sua credibilidade perante aos seus clientes. Mas, no entanto, mesmo que os seus clientes não exijam um certificado, a implementação criteriosa dos processos de gestão estabelecidos nessa norma reduz a chance de erros e, portanto, melhora a eficácia e eficiência da empresa na consecução de seus objetivos, o que certamente impulsionará a competitividade do negócio. E isso não resta dúvida alguma que é vantajoso.

#conteudo2#

#htmlPersonalizado#